Qual é o segredo das organizações que apresentam crescimento exponencial? O que elas fazem de tão diferente para isso? Dentre as diversas estratégias, há uma que é primordial e você deve começar a colocar em prática na sua ótica: a cultura data driven.

Empresas como Nubank, Netflix, Localiza e Amazon são exemplos de grandes marcas que conseguem apresentar boa performance mesmo em períodos de recessão econômica. Por meio da cultura data driven, ou guiada a dados, as empresas podem desenvolver ações mais inteligentes e eficazes.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste post, te apresentamos. Aproveite a leitura!

Afinal, o que significa cultura data driven?

É ser guiada a dados. Isso significa que todas as decisões de uma organização, são feitas considerando informações tratadas de forma analítica, produzidas pela operação e pela alta direção. Elas permitem atuar de forma preditiva, prevendo possíveis cenários e circunstâncias.

O data driven parte do pressuposto de quatro conceitos:

  1. coleta;
  2. controle;
  3. análise; e
  4. ação.

É um movimento cíclico sem fim: ao final de uma ação, o seu resultado deve ser monitorado, ou seja, as informações são coletadas, controladas, tratadas e acabam sendo o gatilho para novas ações.

Por que ela é um diferencial para a gestão?

O conceito de cultura data driven reforça que o direcionamento guiado a dados não é um fato isolado, mas um conjunto de boas práticas para a alta performance. Ele pode ser implementado em qualquer negócio: você não precisa ter uma ótica grande para colocar o data driven em prática, porém, se quiser tornar a sua empresa grande, é fundamental ser guiado a dados.

A seguir, saiba mais sobre as principais vantagens dessa estratégia.

Decisões mais assertivas

O primeiro benefício que apresentamos aqui é em relação à qualidade das decisões do negócio. Por meio do data driven, as ações acontecem fundamentadas em informações práticas e não na intuição ou noção de experiência. Por meio dos dados, você consegue mensurar quais são os resultados que podem ser alcançados e em quanto tempo.

Hoje, o data driven é muito abordado em situações que tratam sobre o relacionamento com o cliente e com o marketing. Porém, vale ressaltar que ele pode ser aplicado em qualquer área da sua empresa.

O que deve se diferenciar são os indicadores para cada uma dela. Inclusive, para que a sua estratégia de cultura data driven tenha o potencial explorado ao máximo, é fundamental que essas métricas sejam escolhidas a dedo.

Indicadores errados, ou não condizentes com o perfil da operação, não permitem a alta performance.

Redução de custos

Se você tem dados em mãos sobre o seu cliente, sobre o quanto o seu negócio gasta ou sobre quanto de prejuízo você tem, é possível identificar comportamentos e tendências que ajudam a consolidar processos mais assertivos. Quando isso acontece, o retrabalho é reduzido. Logo, com rotinas produtivas mais precisas, o seu negócio economiza.

Otimização da experiência do cliente

Você também consegue impactar positivamente a experiência do cliente. Isso é o resultado de diversas frentes que essa estratégia atua, tais como o mapeamento da jornada do consumidor e a otimização de processos que interferem no atendimento e no desenvolvimento de produtos cada vez mais personalizados.

Melhora no desempenho do negócio

A matemática é simples. Se você está economizando ao reduzir custos e faturando mais ao atrair e fidelizar mais clientes, consequentemente, conquista a otimização no desempenho financeiro do seu negócio. Para alcançar resultados ainda melhores, é fundamental que você integre a cultura data driven às estratégias que envolvem a transformação digital da sua ótica.

Faça o download gratuito do eBook 'Como abrir e gerenciar uma ótica'

Como colocar em prática a cultura data driven?

Bem, agora que você está por dentro do conceito desta cultura, com certeza, percebeu que essa estratégia não pode faltar na sua ótica. Pensando nisso, nós montamos um passo a passo para que você possa planejar a virada da sua ótica para a cultura guiada a dados. Confira!

Adequação da cultura corporativa

O primeiro passo é reformular a cultura corporativa da sua empresa. O data driven deve ser algo que parte da identidade do seu negócio. Por isso, é essencial que o posicionamento da sua marca seja revisto. É comum que esse movimento já esteja acontecendo e falta somente a empresa validar e oficializar essa boa prática.

Treinamentos com os colaboradores

Sem capacitação é impossível pensar em consolidar uma empresa para a alta performance. O negócio é feito com pessoas e para pessoas. Nesse sentido, a sua marca deve colocar o desenvolvimento de pessoas como um dos principais pilares para o planejamento estratégico.

É por meio das capacitações que a sua marca alinha as expectativas com seus colaboradores. Essas ações permitem uma troca de conhecimento, além de serem ferramentas de feedback indireto (quando um colaborador executa um processo errado e nem o líder tem ciência, mas o próprio funcionário aprende no treinamento o jeito certo e replica isso no dia a dia).

Uso de ferramentas de Business Intelligence

É provável que você já tenha se deparado com o conceito de BI, ou Business Intelligence (Inteligência do Negócio). Esse conceito diz respeito a softwares capazes de processar grandes bases de dados, chamadas de Big Data. Esses dados são coletados com facilidade graças à digitalização dos processos e das rotinas produtivas do negócio.

Com essas ferramentas, você pode criar dashboards (relatórios) com dados preditivos, de controle e de resultado sobre qualquer processo que queira. Dessa forma, você consegue implementar uma gestão à vista da sua ótica. Além disso, por meio de APIs (Application Programming Interface, ou Interface de Programação de Aplicativos) é possível integrar o BI com outras ferramentas.

Compartilhamento dos resultados do negócio

É por meio do comparativo entre o antes e depois da cultura data driven na sua ótica que você conseguirá fortalecer mais essa cultura. As pessoas precisam comprovar os resultados de uma ação para comprá-la e adotarem no seu dia a dia. Por isso, compartilhe um relatório mostrando qual foi o impacto dessa estratégia para a sua ótica.

Com a cultura data driven, você pode colocar a sua ótica na rota de crescimento mais sustentável.

Siga as nossas dicas de boas práticas e lembre-se de investir em tecnologia e ter foco no cliente para conquistar melhores resultados ao seu negócio.

Se você gostou deste post especial e quer ter informações diretamente no seu e-mail, assine agora a nossa newsletter!

Carol Melzani

Sou coordenadora da Central de Relacionamento na Optidados. Me formei em Direito pela Faculdade de Jaguaríuna, onde despertei grande interesse em discussões acerca do direito empresarial. Amo aprender e entender com os clientes, os desafios que me cercam, propondo soluções que conciliam a tecnologia com as boas práticas de varejo. Utilizo desse lema como o direcionador dos textos que escrevo para o Blog Optidados.

Postagens publicadas: 51