Neste post, vamos explicar de forma simples e esclarecedora, a diferença entre as lentes oftálmicas orgânicas e inorgânicas.

À partir dessa leitura você poderá fazer um atendimento com informações e argumentos mais precisos e surpreender seus clientes. Vamos lá!

Lentes inorgânicas

Feitas de materiais inorgânicos ou minerais, elas são mais conhecidas como lentes de cristal ou vidro e foram as primeiras a serem fabricadas.

Até hoje permanecem no mercado, porém, atualmente correspondem a somente 10% das lentes vendidas.

Os índices de refração das lentes inorgânicas variam entre 1,52 e 1,9 ( índice de refração está relacionado à espessura da lente e quanto maior sua taxa, mais fino será o produto). Essa característica diminui o efeito “fundo de garrafa”, portanto, tem boa qualidade óptica e resistência a arranhões.

Embora não sejam leves e possuam baixa resistência à queda, o vidro apresenta excelentes propriedades ópticas, pois possui maior resistência à abrasão, baixo custo, boa durabilidade e pode ser colorido com variadas cores e tratamentos, sendo personalizável a vários estilos.

Essas lentes são utilizadas normalmente quando o cliente exerce uma profissão em que está exposto a poeira (como pedreiro, por exemplo), trabalha em contato com produtos que danificam as lentes (como profissionais que trabalham com produtos químicos) ou quando o paciente possui altas dioptrias, pelo fato da lente ficar mais fina.

Em contrapartida, as lentes inorgânicas são pouco resistentes ao impacto e impróprio para uso em altas ametropias, pelo seu peso elevado.

Não é aconselhada também para crianças ou até mesmo para a pratica de esportes.

Na maioria das vezes, quando o cliente já utiliza esse tipo de material, encontra maiores dificuldades de adaptação com outros.

Por esse motivo, é imprescindível a efetuação da anamnese optométrica.

Lentes Orgânicas

As lentes orgânicas são feitas de plástico e também são conhecidas como lentes acrílicas.

Apesar de riscarem com facilidade, essas lentes vem conquistando a preferência dos técnicos e dos usuários, por serem mais leves, menos onerosas e mais resistentes aos impactos.

Ideais para solucionar todos os problemas de visão, de miopia, hipermetropia, astigmatismo e vista cansada.

Existem vários tipos de lentes orgânicas, com diferentes índices de refração e indicadas para diferentes situações:

  • Acrílico ou CR39: São leves e confortáveis, mais resistentes a quebras do que as lentes de vidro (porém não são inquebráveis). Possuem alta dureza e transparência, com alta qualidade óptica. Atualmente é uma das mais indicadas no mercado óptico, por se adequar facilmente a diversos tipos de ametropias e por normalmente ter um preço mais acessível. Riscam com facilidade e podem ser tingidas para serem transformadas em óculos solares. É a resina óptica mais conhecida e utilizada para fabricação de lentes oftálmicas.
  • Materiais de alto índice de refração: Plásticos de alto índice de refração (1,54 a 1,67) permitem a confecção de peças com menor massa e espessura, que as de vidro Crown. As desvantagens desses materiais são o preço elevado e a baixa resistência contra riscos. O grande problema das lentes de alto índice de refração é a dispersão cromática. Para atenuá-la, é necessária a aplicação de tratamento anti-reflexo.
  • Policarbonato: Índice 1,59. Material muito resistente ao impacto e bastante leve, já que apresenta centro mais fino. No entanto, a qualidade óptica não é a melhor. São indicadas para lentes em grifes e aros nylon  ou para situações em que a resistência ao impacto é muito importante. Devem ser a primeira escolha para crianças, pessoas ativas (atletas, bombeiros, policiais), pacientes monoculares e para óculos de segurança industrial (soldadores, químicos, etc).

Em resumo, as lentes orgânicas são mais seguras do que as lentes inorgânicas, por resistirem de maneira eficaz ao impacto. Raramente lascam e atuam melhor diante de faíscas. Daí o motivo de serem recomendadas às crianças, aos atletas e até mesmo aos óculos de proteção usados em trabalhos de soldagem, por exemplo.

Porém, precisamos enfatizar e avisar que as lentes de acrílico também possuem o pontos fracos, assim como as de vidro, pois podem riscar com facilidade.

Para diminuir as chances de riscarem e consequentemente, a insatisfação de seus clientes, aconselhamos a aplicação de tratamentos, como o anti-risco.

ebook gratuito com guia completo sobre receitas oftálmicas

Conclusão

Agora que você conhece quais são as vantagens e desvantagens entre as lente de vidro ou acrílico, lembre-se sempre de que as lentes precisam se adequar à armação dos óculos, desta forma, ao atender o seu cliente, compreenda a sua receita, efetue uma anamnese, buscando compreender a sua rotina e como o seu cliente usará seus óculos, e então ofereça a armação, lentes e tratamentos que mais se encaixam para suas necessidades.

Gostou ou ficou com alguma dúvida? Conta pra gente nos comentários! 😉

Bianca Boscolo

Sou formada em Administração de Empresas pela UNIP-Campinas, com especialização em Gestão de Pessoas pela FAJ, me considero uma pessoa cheia de energias e apaixonada por uma boa cerveja artesanal. Descobri o segmento ótico em 2011, onde trabalhei em uma ótica por dois anos até ingressar a Optidados. E é com essa energia e experiência que escrevo com grande atenção para o Blog Optidados.

Postagens publicadas: 44